Vídeo faz alerta sobre fim de estoques de floresta na Amazônia

Lançado pelo Instituto Escolhas, vídeo traz dados de estudo sobre desmatamento zero e mostra que o Maranhão teria seus estoques esgotados já em 2022

O que acontecerá se o Brasil mantiver suas taxas atuais de desmatamento? Na Amazônia, os estoques de floresta desprotegidos pela lei chegarão ao fim rapidamente. Esse é o alerta do vídeo que o Instituto Escolhas acaba de lançar com base no estudo Qual o Impacto do Desmatamento Zero no Brasil?, desenvolvido pelo Instituto.

Entre os dados apresentados, que contaram com análises da Esalq/USP e do Imaflora, o vídeo mostra a situação alarmante do bioma: os estoques de vegetação nativa que podem ser desmatados legalmente acabariam, em média, no ano de 2135. No entanto, vários estados esgotariam seus estoques antes, como é o caso do Maranhão, que encerraria em 2022. Outros estados também trazem dados preocupantes: os estoques acabariam em 2023, 2027 e 2037 para Rondônia, Tocantins e Pará, respectivamente.

É importante lembrar que é possível evitar que esses prognósticos se concretizem. O estudo do Escolhas mostrou que, se todo o desmatamento – e a consequente expansão da fronteira agrícola – no Brasil acabasse imediatamente, seja legal ou ilegal, incluindo terras públicas e privadas, haveria um impacto mínimo na economia do país e não faltariam terras para o plantio. Isso significaria uma redução de apenas 0,62% no PIB acumulado entre 2016 e 2030, o que corresponderia a uma diminuição do PIB de R$ 3,1 bilhões por ano, no cenário mais drástico. Como comparação, apenas os subsídios para o custeio do Plano Safra foram de aproximadamente R$ 10 bilhões em 2017. Esse impacto no PIB poderia ser compensado apenas com um pequeno aumento (menos de 0,3%) na taxa atual de crescimento da produtividade da pecuária.

Os dados completos podem ser obtidos no estudo. Para acessá-lo, basta clicar aqui. Confira o vídeo: