Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental exibe 121 filmes

Evento em São Paulo trará produções de 31 países, com temas como campo, cidades, consumo e preservação

Uma retrospectiva dedicada ao cineasta alemão Werner Herzog, a homenagem ao ativista e ambientalista brasileiro Chico Mendes – no marco dos 30 anos de seu assassinato -, a Mostra Internacional Contemporânea e uma competição latinoamericana, com produções representando oito países da região, são algumas atrações da 7ª edição da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental – iniciativa que alia o cinema ao debate de questões socioambientais – que acontece de 31/05 a 13/06, em São Paulo. O festival, que celebra a Semana Nacional do Meio Ambiente e o Dia Mundial do Meio Ambiente (comemorado em 5 de junho), exibirá 121 filmes, representando 31 países.

A retrospectiva dedicada a Werner Herzog traz algumas de suas mais impactantes obras, onde o conflito entre a natureza e o homem estão fortemente evidenciados, como “Hércules” (de 1962) e “Fata Morgana” (de 1971), até os mais recentes, “O Homem-Urso”, “Encontros no Fim do Mundo” e “A Caverna dos Sonhos Esquecidos”.

O tributo a Chico Mendes exibe “Chico Mendes, Eu Quero Viver”, de Adrian Cowell, e “Crianças da Amazônia”, de Denise Zmekhol, que contará, ainda, com um debate sobre o legado do ativista pela proteção da floresta.

A programação inclui ainda uma competição de produções socioambientais de escolas e cursos audiovisuais, sessões infantis, o Programa Ecofalante Universidades e a Mostra Escola, ambos voltados à exibição e à discussão em espaços educacionais, além do Seminário de Cinema e Educação e dois workshops: “A Prática do Cinema Documental”, com Jorge Bodanzky, e “O Audiovisual na Sala de Aula: A Arte a Favor do Meio Ambiente”.

Na Competição Latino-Americana, 28 trabalhos da região concorrem a premiações de R$ 15 mil e R$ 5 mil. Também competitivo, o Concurso Curta Ecofalante apresenta nove produções curriculares de instituições de ensino de Brasília, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Elas concorrem a um prêmio do júri e a um prêmio do público.

Sessão de debates

As discussões da sétima Mostra giram em torno de filmes e temas do Panorama Internacional Contemporâneo e são os seguintes: “Burros Mortos Não Temem Hienas” (tema campo), “Cidadã Jane: A Luta pela Cidade” (tema cidades) “N-Água” (tema povos & lugares), “O Futuro do Trabalho e da Morte” (tema trabalho), “Triste Oceano” (tema preservação) e “Uma História de Desperdício” (tema consumo).

Sergio Leitão, diretor executivo do Instituto Escolhas, estará presente no evento em dia 4/6, no Reserva Cultural. Para contribuir com a discussão, Leitão participará de mesa que debate o filme-denúncia sobre o megaprojeto de construção de um canal na Nicarágua que cruzaria o maior lago da América Central e teria grande impacto na população e no meio ambiente. A concessão para construção foi dada a um investidor chinês, sem nenhum tipo de referendum prévio com a população.

Os temas abordados nas produções apresentadas na Mostra Internacional Contemporânea estão organizadas em seis temas: campo, cidades, consumo, povos e lugares, preservação e trabalho. Um dos destaques é documentário Sob a Pata do Boi, que revela como opera a cadeia da pecuária na Amazônia, principal vetor de desmatamento da maior florestal tropical do mundo – tema que vem sendo amplamente discutido pelo Instituto Escolhas, como o estudo Qual o Impacto de Zerar o Desmatamento no Brasil?, e de sua plataforma #Quantoé? Plantar Floresta, que tem como objetivo ajudar a estimar o valor necessário para recuperar a área de florestas em propriedades rurais brasileiras.

O evento ocupa 82 salas de cinema e espaços culturais e educacionais de São Paulo, como Reserva Cultural, Centro Cultural Banco do Brasil, Espaço Itaú Augusta, Circuito Spcine, entre outros, e tem como objetivo incentivar projetos que contribuam para o desenvolvimento sustentável do planeta por meio da educação e da cultura. Confira a programação completa e participe.