Instituto Escolhas integra Câmara Temática do Fórum Brasileiro de Mudança do Clima

Sergio Leitão assumiu coordenação pelo Instituto na última segunda-feira, em Brasília

Na última segunda-feira (21), em Brasília, o Instituto Escolhas assumiu a coliderança da Câmara Temática de Longo Prazo do Fórum Brasileiro de Mudança do Clima. Junto com o Instituto, a coordenação será feita pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) e WRI. Além da presença de Sergio Leitão, diretor executivo do Escolhas, também participaram da reunião Ana Carolina Szklo, diretora de desenvolvimento institucional do CEBDS, Juliana Speranza, do WRI, Alfredo Sirkis, coordenador do FBMC, e Branca Americano, do Instituto Internacional para Sustentabilidade (IIS).

O FBMC é uma iniciativa ligada ao governo federal formada por membros do governo e da sociedade civil, cujo objetivo é conscientizar e mobilizar a população para a discussão e tomada de decisão sobre os problemas decorrentes da mudança do clima. Para isso, contam com as Câmaras Temáticas, que atuam em vários setores econômicos, sociais e técnico-científicos, como nas áreas de florestas, mobilidade, energia, financiamento, adaptação e gestão de riscos, visão de longo prazo, entre outros.

O principal objetivo das Câmaras é contribuir para a definição de prioridades, níveis de ambição e sequenciamento de ações relevantes de curtíssimo prazo, para cumprimento das metas brasileiros junto à Convenção do Clima (NDC) e de longo prazo, considerando tanto critérios de custo-benefício, desenvolvimento tecnológico e impactos climáticos projetados para o Brasil. Leitão explica que a Câmara de visão de longo prazo contou com debate de alto nível sobre o que seria a construção de uma visão de longo prazo para o desenvolvimento do país, procurando trazer subsídios para idealizar qual seria a proposta para o Brasil fazer a transição para uma economia de baixo carbono até 2050. “É preciso idealizar. Não dá para pensar na transição se não soubermos para onde estamos indo, qual o Brasil e a sociedade que queremos”, afirma. O debate contou ainda com a participação do pesquisador em mudança climática, Carlos Nobre, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), do especialista em relações internacionais, Roberto Viola, da Universidade de Brasília (UNb),e do economista Sergio Margulis.

O diretor do Escolhas explica, ainda, que serão realizadas reuniões para unir elementos que já foram pensados para que o país possa integrar o contexto de grandes países, abordando os principais desafios do Brasil e buscando soluções para garantir que o país tenha uma sociedade mais justa, atentando-se ao seu quadro de desigualdades. “Não podemos repetir a mesma fórmula de desenvolvimento de 50 anos atrás, quando o Brasil conseguiu se desenvolver, mas, para isso, consumiu seus recursos naturais”, afirma. “Se almejamos que o país cumpra os acordos para melhorar o clima sem o aumento da temperatura, precisamos mudar os nossos padrões de produção”, completa.

Leitão afirma que participar dessa iniciativa é muito importante para o Escolhas, pois é “um reconhecimento do papel do Instituto como uma organização que pensa em temas para o futuro do Brasil”.