Estudos voltados à economia e mercado florestal são premiados pelo SFB

Pesquisas selecionadas serão apresentadas em evento de premiação que acontecerá em Brasília

Economia e mercados florestais, sistemas de Integração Lavoura-Pecuária- Floresta (iLPF), reserva legal (RL) e produtos florestais são alguns dos temas abordados nos estudos vencedores do V Prêmio em Estudos de Economia e Florestal – uma iniciativa do Serviço Florestal Brasileiro (SFB) em parceria com a Escola de Administração Fazendária (Esaf) e apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os projetos premiados serão apresentados em evento que acontece no próximo dia 21 de março, em Brasília.

Dividido em duas categorias (graduando e profissional), o Prêmio recebeu 64 inscrições e contemplou seis trabalhos, três para cada nível. Na categoria graduando, o primeiro lugar foi de Lucas de Almeida da Costa e Marcos Pires Mendes, com o título Custos e benefícios da conservação e recuperação ambiental: um estudo das possibilidades para um PSA nacional, que apresenta uma estimativa dos custos e benefícios associados a uma política de pagamento por serviços ambientais (PSA), com o objetivo de incentivar a preservação das águas e florestas no Brasil. A pesquisa traz comparações entre uma política de conservação de áreas sob pressão de desmatamento e uma de recuperação de passivo ambiental, de modo a dimensionar a possibilidade de aplicação efetiva de ambas em conjunto.

O segundo lugar traz o Estudo de viabilidade para implantação de sistemas de integração Lavoura-Pecuária-Florestas (iLPF) em regiões de clusters florestais no Brasil, de autoria de Laís Ernesto Cunha. A pesquisa envolve a identificação de áreas potenciais para a implantação de sistemas iLPF baseada na localização espacial de clusters florestais (arranjo produtivo, junção de atividades semelhantes), apresentando características de interface de áreas de lavoura e pecuária.

A pesquisa Uso de pellets de madeira para fins energéticos: pesquisa de mercado, de Arthur Santos Pereira, ficou com o terceiro lugar na categoria. De acordo com o estudo, o esgotamento das atuais fontes de energia, como o petróleo e o carvão mineral, é um fator que tem motivado a crescente busca por fontes de energia sustentáveis, como é o caso da biomassa florestal e seus produtos derivados, como os pellets de madeira. Muito utilizado nos Estados Unidos e Europa, os pellets, no Brasil, ainda constituem um mercado inexpressivo, sem regulamentação própria e incentivos governamentais para seu desenvolvimento. Apesar disso, o estudo aponta que o país possui grande potencial para crescer e desenvolver esse mercado.

Já na categoria profissional, os premiados foram Rayane Pacheco Costa, com o estudo Estimativa da Demanda por Regularização do Passivo de Reserva Legal nos estados do Pará e Mato Grosso, Kalil Said de Souza Jabour, com o título Questões relevantes sobre as classificações internacionais de atividades e produtos florestais, e Elaine Lopes da Costa, que desenvolveu o estudo Pode o açaí (Euterpe precatoria Mart.) ser parte importante no desenvolvimento socioeconômico das famílias extrativistas no Acre, Brasil?

O primeiro estudo afirma que há pouco interesse pela conservação de vegetação nativa e reforça a importância do Código Florestal dentro desse cenário, com seu percentual obrigatório para a manutenção de vegetação. No entanto, segundo o estudo, apesar de existirem várias alternativas para a regularização, a tomada de decisão do produtor rural em regularizar seu passivo de reserva legal é incerta. Com isso, o estudo busca estimar em nível de município a demanda provável por regularização do passivo em RL em diferentes cenários nos estados do Pará e Mato Grosso.

O segundo trabalho procura abordar questões relevantes sobre as classificações internacionais de atividades e produtos florestais e a repercussão destas questões na conceituação e padronização adotadas na legislação, literatura técnica brasileira sobre o tema e na elaboração de estatísticas. A proposta do estudo é apresentar de modo sistemático as classificações e diagnosticar as insuficiências e problemas tipológicos, a fim de colaborar para o aperfeiçoamento das atividades e produtos primários florestais.

Por fim, a última pesquisa aborda como o mercado influencia a vida das famílias florestais no estado do Acre, a partir do mapeamento socioecológico dos sistemas extrativistas do açaí e modelagem da ecologia e socioecologia. Os resultados do estudo apontam que o açaí deve ser parte importante na estratégia de desenvolvimento socioambiental das famílias florestais no Acre, pois o estado possui um território altamente favorável à ocorrência de palmeiras e florestas com alto potencial de produção e renda de açaí.

Os estudos estão disponíveis no Hub de Estudos do Instituto Escolhas, para acessá-los, basta clicar aqui.

Produção de estudos

Compactuando com a premissa de estimular o ensino e a pesquisa no Brasil acerca das questões socioambientais contemporâneas e globais, a partir da abordagem das ciências econômicas, o Instituto Escolhas tem trabalhado para reconhecer e fortalecer projetos de estudantes dentro da temática de economia e meio ambiente. Para isso, o Escolhas mantém, em parceria com o Insper, a Cátedra de Economia e Meio Ambiente, que busca contribuir para ampliar o número de pesquisadores que desenvolvem trabalhos, por meio de programa de bolsas, voltados ao desenvolvimento sustentável do país

O primeiro edital de bolsas de estudo da Cátedra, lançado em 2017, resultou em estudos de mestrado voltados à mobilidade urbana, água virtual, produtividade agrícola e o uso de combustíveis. Já em 2018, com o aumento do número de inscritos no programa, o Escolhas selecionou sete estudantes de mestrado e doutorado. Os bolsistas selecionados desenvolverão suas pesquisas com temas relacionados a valoração da água, mitigação de emissões de gases de efeito estufa (GEE) do setor pecuário brasileiro, economia verde, conexão entre comércio exterior e poluição, transporte urbano, impactos regionais da adequação brasileira às metas da COP 21 e política ambiental e economia.

Ainda dentro da Cátedra, o Escolhas lançou o Hub de Estudos, uma plataforma online de pesquisa bibliográfica sobre economia e meio ambiente, cujo objetivo é facilitar a pesquisa e produção de conhecimento nessas áreas. No Hub, é possível encontrar trabalhos publicados em sete revistas especializadas, além de outros estudos, artigos, dissertações etc.