Leveling Up?An Inter-Neighborhood Experiment on Parochialism and the Efficiency of Multi-level Public Goods Provision (Uma experiência inter-vizinhança sobre o paroquialismo e a eficiência da provisão de bens públicos multi-nível – Tradução Livre)

Muitos bens públicos podem ser fornecidos em diferentes níveis espaciais. Evidências da teoria da identidade social e do favoritismo no grupo levanta a possibilidade de que quando a provisão de nível superior é mais eficiente, a preocupação estreita dos sujeitos com os resultados locais (paroquialismo) pode prejudicar a eficiência. Com base no paradigma experimental dos jogos de bom desempenho multi-nível e no conceito de “apego ao bairro”, realizamos um experimento de campo artefactual com 600 participantes em um ambiente propício ao comportamento paroquial. Encontramos evidências para o paroquialismo, mas contrariamente à nossa hipótese, o paroquialismo não interfere com a eficiência: o sujeito médio responde da mesma forma à mudança nas produtividades relativas ao nível local e regional, seja consciente da presença dos vizinhos. Os resultados são válidos para indivíduos com apego ao bairro abovememiante e com sujeitos iniciados no apego ao bairro

Impactos do saneamento básico sobre a saúde: uma análise espacial

Nesse estudo foi investigado o efeito do saneamento sobre a saúde a partir de uma análise espacial. Os resultados indicam que, em geral, o acesso aos serviços de saneamento inadequados causa impacto positivo na taxa de incidência de internações por Doenças Relacionadas ao Saneamento Ambiental Inadequado (DRSAI), por mil habitantes, a variável de saúde considerada nesse estudo. Para a população de todas as idades, o impacto total médio do aumento de 1% na parcela de domicílios servidos por água da chuva armazenada em cisterna ou caixa de cimento é 0,217 casos por mil habitantes. Quando se considera a porcentagem dos domicílios que tem banheiro conectado a uma fossa rudimentar, esse impacto é 0,035 casos por 1000 habitantes. Outro resultado desse estudo é que a população mais jovem é a mais atingida pelas condições inadequadas dos serviços de saneamento básico.

Impactos do desmatamento, agricultura, crescimento econômico e gastos municipais na incidência de malária na Amazônia: uma análise espacial

O objetivo deste estudo foi analisar a relação dos casos de malária com o desmatamento, crescimento econômico, desenvolvimento agrícola e gastos públicos nos municípios da Amazônia Legal entre 2003 e 2012. O artigo intenta contribuir para a literatura ao realizar uma análise econométrica espacial, viabilizando capturar efeitos spillovers das variáveis em estudo sobre a incidência de malária na região. Foram encontradas evidências de que o desmatamento possui uma relação positiva com os casos de paludismo; enquanto gastos municipais com educação, efetivo de bovinos e áreas destinadas ao plantio da soja estão negativamente relacionados com os casos da infecção.

“Mananciais Paulistas como Prioridade na Agenda Pública: Identificação de Áreas Críticas e Recomendações de Intervenção – Sumário Executivo”

Os moradores de São Paulo há tempos sofrem com enchentes. A crise hídrica vivenciada recentemente mostrou a necessidade de uma nova consciência em relação à água. A publicação que o leitor tem em mãos aponta caminhos para, a partir do conhecimento detalhado das áreas de mananciais de São Paulo, seguirmos em direção a construção de um cenário de segurança hídrica.

Mudança do Clima – Avaliação dos reflexos das metas de redução de emissões sobre a economia e a indústria brasileira

As ações relacionadas à redução dos Gases de Efeito Estufa – GEE trarão reflexos para todos os segmentos produtivos. O estudo aqui apresentado visa fundamentar os debates correlacionados e enfocando a avaliação das alternativas de precificação de carbono, as quais começam a ser desenhadas no mercado internacional, em função dos novos cenários resultantes do Acordo de Paris. Como principal resultado desse Acordo a economia global de baixo carbono ganha cada vez mais relevância, sendo tarefa essencial dos países signatários a implementação de ações que objetivem manter o aumento da temperatura no Planeta, abaixo da meta de 2 graus Celsius, até o fim deste século.

Custos e benefícios da implementação de um mercado de cotas de reserva ambiental (CRA) no Brasil

O Novo Código Florestal Brasileiro (NCFB), revisado e sancionado pela Lei 12.651/2012, alterou consideravelmente o marco regulatório acerca do uso e proteção de vegetação nativa em propriedades privadas no Brasil. A nova legislação foi bastante criticada por eliminar ou reduzir diversas salvaguardas previstas no Código Florestal anteriormente vigente (BRASIL, 1965), tais como a cancelamento da necessidade de recuperação em áreas consolidadas (desmatamento que ocorreu anterior a 2008) em pequenas propriedades (até quatro módulos fiscais), ou diminuição do tamanho das Áreas de Preservação Permanente (APPs). Por essa razão, diversos estudos apontaram que houve uma redução da necessidade de recuperação de matas nativas em propriedades rurais.

Contas Econômicas Ambientais de Florestas-Ceaf: Uma proposta de trajetória metodológica e institucional para aplicação no Brasil

O presente artigo objetiva apresentar a metodologia das Contas Econômicas Ambientais – Marco Central para as Florestas segundo os pressupostos desenvolvidos pela Divisão de Estatísticas das Nações Unidas (UNSD). Apresentam-se as bases de dados, pesquisas e estudos disponíveis no Brasil e que podem servir de insumo para essa atividade e ainda uma proposta de construção de uma plataforma institucional para a elaboração das Contas de 3 Florestas no Brasil. Isso permitirá a implementação de um sistema de contas satélites que possibilite ao Sistema de Contas Nacionais incorporar essas dimensões, tais como as contas físicas e monetárias de florestas e produtos madeireiros. Os resultados esperados deste trabalho relacionam-se à divulgação da metodologia e o incentivo à construção de uma plataforma institucional para elaboração das CEAF no Brasil.

From Rivers to Roads: Spatial Mismatch and Inequality of Opportunity in Urban Labor Markets of a Megacity (Dos rios às estradas: desigualdade espacial e desigualdade de oportunidades em mercados de trabalho urbanos de uma megacidade – Tradução Livre)

O desfasamento espacial entre locais residenciais e empregos pode ser particularmente relevante para indivíduos com baixa qualificação. Neste artigo, exploramos primeiro esse fenômeno da perspectiva da distância da residência para a concentração geográfica de empregos e desvantagens locacionais da própria forma urbana. Tais condições desiguais no mercado de trabalho representam um grande desafio para a sustentabilidade espacial dos múltiplos equilíbrios alcançados simultaneamente nos mercados de trabalho e habitação. Estimamos os principais aspectos que influenciam os diferenciais salariais entre os indivíduos, enfocando o papel da acessibilidade nos resultados do mercado de trabalho.

Escassez de água e mortalidade infantil: novas evidências a partir de um painel quantílico robusto

Propõe-se investigar os resultados de saúde expressos na taxa de mortalidade infantil para um painel de município-a-mês (1996-2010) do semiárido brasileiro, levando em consideração importantes efeitos: heterogeneidade não observada, a endogeneidade existente, bem como a confiabilidade dos dados de precipitação, até o momento negligenciado pela literatura. Os resultados, em conformidade com a literatura, mostram um efeito negativo da precipitação e um efeito positivo da seca sobre a taxa de mortalidade infantil dos municípios pertencentes ao semiárido brasileiro. Contudo, ressalta-se que os efeitos de tratamento aplicados ratifica o efeito negativo, porém, em magnitude inferior ao apresentado na literatura.

Demanda por transporte na Região Metropolitana de São Paulo e política de pedágio urbano para redução de congestionamento

Este trabalho tem como objetivo estimar a demanda de diferentes modais de transporte na Região Metropolitana de São Paulo e entender qual a variação a partir da implantação de um pedágio urbano no centro expandido da cidade para os automóveis. Para tanto será usado o modelo mixed logit de resposta multinominal, com base os dados da Pesquisa Origem e Destino de 2007, tendo como variável dependente o modal escolhido na viagem. Os resultados sugerem que o pedágio urbano tem um impacto positivo na redução do total de viagens com automóveis, aumentando a demanda por viagens com outros modais, especialmente o transporte público e o transporte não motorizado. Um benefício adicional gerado pelo pedágio urbano é a geração de receita para investimento em infraestrutura de transporte.

Potencial e Exploração do Imposto Patrimonial Imobiliário no Brasil: Uma Análise do IPTU a Partir da Teoria dos Conjuntos

Este estudo propõe uma análise comparativa dos municípios brasileiros aplicando a teoria dos Conjuntos Fuzzy. A aplicação desta metodologia na área das finanças públicas é pioneira no Brasil, o que proporcionou resultados inéditos em matéria de tributação da propriedade. Os resultados da avaliação aqui desenvolvida confirmaram que a maioria absoluta dos municípios brasileiros não utiliza todo o seu potencial de arrecadação do IPTU—fato que tende a ser mais crítico nos municípios de menor porte e que dependem mais de recursos de outras esferas de governo. Mensurar finalmente tal potencial, a partir de uma análise comparativa entre cidades, foi a novidade trazida por esta pesquisa.

Determinantes da eco-inovação no Brasil: uma análise a partir da Pintec 2011

O objetivo deste artigo é estabelecer um panorama geral da adoção de Eco-Inovações no Brasil, identificando suas características e seus principais determinantes. Para isso, serão estimados modelos probabilísticos (probit e Heckprobit) com base nos microdados por empresa presentes na Pesquisa de Inovação (PINTEC) de 2011. Os resultados encontrados mostram que as empresas eco-inovadoras no Brasil são, em geral, empresas de capital nacional, não fazem parte de um grupo, não são exportadoras e recebem poucos incentivos do governo.