Esta biblioteca virtual é uma parceria do Instituto Escolhas com o Insper, replicada nos sites das duas instituições.

Quais os reais custos e benefícios das fontes de geração elétrica no Brasil?

Estudo coordenado pelo Instituto Escolhas com a execução técnica das equipes da PSR Consultoria e HPPA. Apresenta metodologia inédita que calcula o custo total da geração de energia no Brasil por meio da avaliação e da valoração dos atributos de cinco componentes para cada fonte de geração prevista no Plano Decenal de Energia (PDE) 2026. O relatório completo contém quatro partes:

Caderno Principal

Caderno Custos de Infraestrutura

Caderno de Geração

Caderno de Subsídios e Custos de Emissão de CO2

 

Quais os reais custos e benefícios das fontes de geração elétrica no Brasil? – Sumário Executivo

Estudo coordenado pelo Instituto Escolhas com a execução técnica das equipes da PSR Consultoria e HPPA. Apresenta metodologia inédita que calcula o custo total da geração de energia no Brasil por meio da avaliação e da valoração dos atributos de cinco componentes para cada fonte de geração prevista no Plano Decenal de Energia (PDE) 2026.

 

Mobilidade Urbana & Baixo Carbono

Pesquisa de opinião sobre mobilidade urbana e baixo carbono adaptada de versão americana promovida pela Oil Transportation Research and Intelligence Network. Realizada pela Ideia Big Data e encomendada pelo Instituto Clima e Sociedade em parceria com o Instituto Escolhas, a pesquisa foi executada em outubro de 2017 e ouviu 3.000 pessoas em todo Brasil. A coleta de dados foi feita por meio de entrevistas pessoais aplicadas via telefone. A margem de erro é de aproximadamente 2,25 pontos percentuais para mais ou para menos dos resultados encontrados no total da amostra, com intervalo de confiança de 95%.

Precificação da água virtual para o Brasil e suas unidades da federação

Palavras-Chave: Precificação da água virtual; Valoração da água
Autor(es): Jaquelini Gisele Gelain, Elis Braga Licks e Alexandre Nunes de Almeida
Ano: 2017

Resumo: O objetivo principal do estudo foi precificar a água virtual – água presente no processo produtivo de qualquer produto. Para tanto fez-se a revisão da literatura sobre precificação de água e optou-se por utilizar como parâmetro de preços, os valores cobrados pelo uso dos recursos hídricos, uma vez que existe essa cobrança em alguns Estados brasileiros. O valor médio encontrado para o País foi R$ 0,01004/m³. Para os Estados apurou-se o maior valor, R$ 0,02301/m³, em São Paulo e o menor valor, R$ 0,00040/m³, nos estados pertencentes à Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (Alagoas, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Pernambuco e Sergipe).

Volume e valor da água virtual exportada através da soja pela região Sul do Brasil

Palavras-Chave: Região Sul; Exportação de água virtual; Exportação de soja
Autor(es): Jaquelini Gisele Gelain, Elis Braga Licks, Alexandre Nunes de Almeida e Márcia Istake
Ano: 2017

Resumo: O objetivo do estudo foi estimar o volume e o valor da água virtual presente na exportação de soja da região Sul do Brasil, no período de 2011 a 2016. Apurou-se que, em toneladas, houve aumento de 27,86% e, em termos monetários, US$, o aumento foi de 2,64%, comparando-se os períodos final e inicial. Quanto à água virtual, foram exportados 318.647,206 milhões de m³ de água. Sobre o volume de água virtual exportada, o aumento foi de 29,38%. O valor total implicitamente exportado com a água virtual foi R$ 3.186.472.061,06, representando um aumento de 29,38% no valor total dessa água.

Qual o impacto do desmatamento zero no Brasil?

Estudo coordenado por Sergio Leitão e Lígia Vasconcellos (Instituto Escolhas), com análise biofísica e de uso da Terra de Gerd Sparovek, Vinícius Guidotti (Geolab – Esalq/USP) e Luiz Fernando Guedes Pinto (Imaflora). Análise econômica por Joaquim Bento de Souza Ferreira Filho (Esalq-USP), buscou responder qual o impacto econômico e social de zerar o desmatamento no Brasil.

Qual o impacto do desmatamento zero no Brasil? – Sumário Executivo

Estudo coordenado por Sergio Leitão e Lígia Vasconcellos (Instituto Escolhas), com análise biofísica e de uso da Terra de Gerd Sparovek, Vinícius Guidotti (Geolab – Esalq/USP) e Luiz Fernando Guedes Pinto (Imaflora). Análise econômica por Joaquim Bento de Souza Ferreira Filho (Esalq-USP), buscou responder qual o impacto econômico e social de zerar o desmatamento no Brasil.

Qual o Impacto de Zerar as Emissões do Setor Elétrico no Brasil? – Sumário Executivo

Estudo coordenado por Lígia Vasconcellose Shigueo Watanabe Jr., do Instituto Escolhas, e elaborado por William Wills, da EOS Estratégia & Sustentabilidade, buscou responder qual é o impacto econômico, social e ambiental para o Brasil em cumprir a sua obrigação com a Convenção do Clima e, mais ainda, zerar suas emissões no setor elétrico até 2050.

Qual o Impacto de Zerar as Emissões do Setor Elétrico no Brasil?

Estudo coordenado por Lígia Vasconcellose Shigueo Watanabe Jr., do Instituto Escolhas, e elaborado por William Wills, da EOS Estratégia & Sustentabilidade, buscou responder qual é o impacto econômico, social e ambiental para o Brasil em cumprir a sua obrigação com a Convenção do Clima e, mais ainda, zerar suas emissões no setor elétrico até 2050.

Os frigoríficos vão ajudar a zerar o desmatamento da Amazônia?

Palavras-Chave: Desmatamento, frigoríficos, Amazônia
Autor(es): Paulo Barreto, Ritaumaria Pereira Amintas Brandão Jr. e Sara Baima. Com contribuições de Bruno Marianno, Ana Paula Valdiones e Glaucia Barreto.
Ano: 2017
Fonte: Imazon

Resumo: Os frigoríficos que compram gado da Amazônia têm sido pressionados por campanhas ambientais e processos legais a combater o desmatamento praticado pelos fazendeiros. Algumas empresas frigoríficas se comprometeram a comprar apenas de fazendas sem desmatamento após 2009. Sete anos depois do primeiro acordo, fomos a campo para responder se os frigoríficos, de fato, podem contribuir para zerar o desmatamento na região. Com base em dados inéditos e na revisão de estudos, mostramos que os acordos avançaram, mas muito ainda precisa ser feito para que o setor contribua efetivamente para ajudar a zerar o desmatamento na Amazônia.

Estimativa do volume e do valor da água virtual exportada pela região de Matopiba

Palavras-Chave: Matopiba, Água Virtual
Autor(es): Jaquelini Gisele Gelain, Elis Braga Licks, Alexandre Nunes de Almeida e Márcia Istake
Ano: 2017

Resumo: O presente estudo teve por objetivo estimar o volume e o valor da água virtual – água embutida no processo produtivo de qualquer produto – presente na exportação de soja da região de Matopiba (inicias dos estados Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) no período de 2002 a 2016. No tocante à água virtual, no período analisado, foram exportados 73.220,398 milhões de m³ de água, equivalente a 28.288.159 piscinas olímpicas cheias. Com relação à variação no volume de água virtual exportada, o aumento foi de 1.602,28%. No que tange à cobrança pelos recursos hídricos, o presente estudo identificou o valor total de R$ 75.702.134,11, implicitamente exportados com a água virtual presente na soja da região de MATOPIBA e a variação desse valor, entre o último e o primeiro período, resultou o aumento de 925,01% no valor total dessa água.

Estimating 20-year land-use change and derived CO2 emissions associated with crops, pasture and forestry in Brazil and each of its 27 states (Estimando a mudança de uso da terra de 20 anos e as emissões derivadas de CO 2 associadas às culturas, pastagens e silvicultura no Brasil e em cada um dos seus 27 estados – Tradução Livre)

 

Palavras-Chave: Uso da Terra
Autor(es): Renan ML Novaes, Ricardo AA Pazianotto, Miguel Brandão, Bruno JR Alves, André May, Marília IS Folegatti-Matsuura
Ano: 2017
Fonte: Global Change Biology

Resumo: A mudança de uso da terra (LUC) no Brasil tem importantes implicações sobre mudanças climáticas globais, serviços ecossistêmicos e biodiversidade, e a expansão agrícola desempenha um papel fundamental neste processo. As preocupações com essas questões levaram à necessidade de estimar a magnitude e os impactos associados a isso, que são cada vez mais relatados na avaliação ambiental dos produtos. Os cenários adotados fornecem um intervalo entre as taxas mínimas e máximas de emissões de CO 2 do LUC de acordo com diferentes possibilidades de transições de uso da terra, que podem ter grandes impactos nos resultados.