Índice destaca as cidades mais inteligentes do mundo

O IESE Cities in Motion Index analisa níveis de governança, equidade social, além de fatores econômicos e ambientais para classificar 165 cidades de 80 países

A cidade de São Paulo figura na posição 116 do índice das cidades mais inteligentes do mundo no ranking IESE Cities in Motion Index. Além da capital paulista, a cidade do Rio de Janeiro, em 126; Curitiba, em 135; Brasília, em 138, Salvador, em 147 e  Belo Horizonte, em 151, também integram o ranking. Pelo segundo ano as cidades de Nova York, Londres e Paris ocupam, respectivamente, a primeira, segunda e terceira posição do índice que avalia 165 cidades em 80 países.

O que é uma cidade inteligente?

Em sua quinta edição o índice analisa nove dimensões consideradas fundamentais para uma cidade inteligente e sustentável: capital humano (desenvolvimento, atração e promoção de talentos), coesão social (conformidade entre diferentes atores sociais e grupos em uma cidade), economia, meio ambiente, governança, planejamento urbano, alcance internacional, tecnologia, mobilidade e transporte (facilidade de locomoção e acesso a serviços públicos). O trabalho é desenvolvido pelo Centro de Globalização e Estratégia da IESE Business School, sob direção dos professores Pacual Berrone e Joan Enric Ricart.

Neste índice as cidades devem ter um bom desempenho em vários elementos diferentes considerando o fato de que não adianta que uma cidade se apresente ambientalmente amigável ao passo que a criminalidade e o desemprego sejam altos a ponto das pessoas não se dispuserem a morar lá. Partindo deste ponto o trabalho busca elementos que o diferencia de outros rankings que apenas consideram o uso de tecnologias inteligentes ou medidas específicas de sustentabilidade ambiental.

Brasil

São Paulo e Rio de Janeiro, as cidades brasileiras como as melhores posições no ranking se destacaram nas dimensões de reconhecimento internacional e planejamento urbano. Respectivamente, São Paulo ocupa as posições 28 em reconhecimento internacional e 34 em planejamento urbano, já o Rio de Janeiro ocupa, na mesma ordem, as posições 36 e 47 das mesmas categorias. Já economia e coesão social são os pontos de maior atenção das duas cidades: posições 155 e 145 para São Paulo e 160 e 154 para o Rio Janeiro.

América Latina

Evoluindo oito posições em relação ao ano retrasado a cidade de Buenos Aires está na posição 76 e lidera o ranking do continente. A cidade também está entre as 30 melhores nas categorias: planejamento urbano, alcance internacional e governança. Na segunda posição regional vem Santiago, no Chile, seguida pela cidade do Panamá. As cidades de Montevideo no Uruguai e São José na Costa Rica ocupam a quarta e quinta posição respectivamente.

Destaques

As três primeiras colocadas pontuaram muito bem em todos os pontos. Nova York, ocupa a primeira posição principalmente por sua posição econômica, a metrópole é o centro econômico mais importante do mundo. Londres aparece em segundo lugar por se destacar na dimensão capital humano devendo esse sucesso ao elevado número de escolas e universidades de qualidade. Já Paris abriga o segundo maior números de turistas internacionais e se destaca em duas categorias: é a primeira em divulgação internacional e a primeira em mobilidade e transporte com um sistema que reúne metrô, sistemas de compartilhamento de bicicletas e trens de alta velocidade.

Mesmo assim, as três cidades ainda buscam melhorias na questão da coesão social e ocupam níveis inferiores no ranking desta medida. De acordo com os autores do relatório “um dos maiores desafios para as cidades é se transformar em centros prósperos, equitativos e inclusivos”.

Atualizações

A quinta edição traz algumas atualizações importantes em relação aos índices anteriores como o número de indicadores que aumentou trazendo números de ataques terroristas, níveis de conformidade da ISO 37120 (conhecido como padrão de cidade inteligente) e prospecção de PIB per capita e aumento das temperaturas.

Clique aqui para ver e acessar o estudo completo.